Carregando... Por favor, aguarde...

Informativo Herbalife


INTRODUÇÃO

Postado em 05/07/13 : 08:07:25

INTRODUÇÃO A obesidade é uma doença estabelecida socialmente nos países do ocidente e uma questão de risco para a saúde numa porção considerável da população, incluindo crianças e adolescentes.1-6A redução de calorias é o ponto de partida para a redução de peso.7 A terapia mais eficiente para a obesidade provavelmente éa combinação de uma dieta de baixas calorias (hipocalórica), mudança de hábitos alimentares e a introdução de atividadesfísicas.8 Se a ingestão de alimentos for menor que o consumo de energia, as calorias estocadas em forma de gordura serãoconsumidas. As restrições dietéticas podem variar da inanição total à privação suave de calorias; no entanto, praticamentetodas as atuais dietas prescritas estão desbalanceadas em termos de distribuição e qualidade da comida e podem nãoabastecer as necessidades diárias de micronutrientes, minerais e vitaminas. Isto pode resultar em grave desequilíbriometabólico.9 A recente reportagem de um caso reversível de prolongação do intervalo Qtc, de 0,57 segundos antes do início dadieta para 0,72 segundos no momento da internação hospitalar - quando o auge dos paroxismos gravemente sintomáticos detornsade de pointes foi registrado - chamou a atenção para os riscos das dietas para redução de peso mal balanceadas.10Do ponto de vista do paciente e do médico, a restrição dietética pode ser considerada um empreendimento frustrante eexigente, freqüentemente facilitado pela adição de remédios para emagrecimento - preparados para reduzir o tempo deemagrecimento. Atualmente existe uma infinidade desses tipos de remédios disponíveis sobre os balcões das farmácias, einclusive de outras fontes de venda não supervisionadas. As informações sobre a eficácia, a segurança e possíveis riscos de saúde relacionadas com o uso de tais preparados são freqüentemente ausentes ou insuficientes11, como também o custo dessas drogas pode ser muito alto.12Os médicos e da mesma forma os consumidores têm que confiar nas propagandas e demonstrações quando estãoselecionando um remédio, visto que nenhuma organização produz estudos clínicos para a avaliação dos resultados dotratamento a curto e longo prazo.13Só recentemente foi iniciado um trabalho científico para possibilitar o acesso à identificação das vantagens - se é que há alguma - e dos riscos embutidos nos programas de redução de peso, e ainda assim, apenas em pessoas extremamenteobesas.14 Pessoas com este nível de obesidade são mais prováveis de serem atendidas em um hospital, por seus médicos ouseguirem o último conselho, e exibem um perfil psicológico diferente daqueles que não estão sob tratamento da doença.15Pelo conhecimento dos autores, nenhuma investigação metodologicamente rigorosa foi iniciada até agora com pessoasmoderadamente obesas (apenas com excesso de peso). Esta condição engloba a maior fração das pessoas com probabilidadede serem expostas a dietas e programas de redução de peso, e onde os riscos dos programas incertos sem acompanhamentoclínico que estão sobre os balcões das farmácias são maiores. Pela experiência clínica, são também estas pessoas que mostram a menor complacência com as dietas e nas quais mudanças bioquímicas potencialmente relevantes associadas coma dieta mais facilmente passam despercebidas, por causa da atenção clínica limitada que elas recebem. Por esta razão, os autores iniciaram metodologicamente uma investigação rigorosamente clínica para comprovar se - e em que extensão - integradores alimentares selecionados poderiam ajudar em programas de redução de peso. Os autores consideraram que o integrador apropriado deveria ser um composto preparado fornecendo poucas calorias por dia,contendo proteínas de alta qualidade (para evitar a inconveniência de tomar derivados de collagen ou proteínas vegetais debaixo valor nutritivo), vitaminas, minerais e micronutrientes aproximadamente na quantidade diária exigida e fibra. O preparado patenteado selecionado para o estudo não é um medicamento e já está autorizado para comercialização. Adicionalmente, as pessoas que participaram do teste eram saudáveis. Apesar disso, os autores escolheram seguir as recomendações metodológicas usadas para estudos investigacionais para novas drogas, seguindo a relevante Prática ClínicaCorreta (GCP) e as normas de garantia de qualidade, com cuidadosa validade científica e processamento dos procedimentos. Portanto, os objetivos deste estudo foram determinar se a adição de um preparado patenteado muda, direta ou indiretamente, o curso da perda de peso, para determinar se mudanças bioquímicas também ocorrem como resultado de um esquema dedieta quando usado por pessoas saudáveis com excesso de peso, e para determinar se a adição do preparado patenteadocom as características mencionadas reduz ou aumenta tais mudanças. A hipótese testada era de que a suplementação com opreparado patenteado não fazia qualquer efeito.